02/11/07

O Sobrinho do Dr. Cardoso - 6º vómito


"Abaixo o fascismo! abaixo os colonialistas!", gritou Cardoso Jardim do alto do autocarro descapotável, quando passava pelo Tribunal do Funchal.
Esta proclamação corajosa e mobilizadora das massas adormecidas, poderia fazer parte da biografia deste grandioso antifascista.
Mas ... tem um pequeno problema:
-Os atadinhos dos seus colaboradores, ainda não conseguiram alterar a data de Outubro de 2004 para Outubro de 1973! Que merda!

Pois é, Cardoso Jardim só se lembrou de ser antifascista e anticolonialista depois do 25 Abril.
Antes, em 1973, a "coragem" era outra:
- "Nas últimas eleições o próprio eleitorado ultramarino ter-se manifestado esmagadoramente pela continuação dos laços da nacionalidade. Isto é que é auto-determinação, e não as palhaçadas neo-coloniais montadas pelas grandes potências."

Para ir ao fundo da questão deste fervor patriótico e desinteressado, Cardoso Jardim explica-se melhor:
- "O Povo tem de sentir concretamente os benefícios a retirar das imensas riquezas que pululam no nosso Ultramar..."

POIS NÃO...!

Sem comentários:

Contador

A revolta da chibata (ver primeiro post sobre o tema)

Loading...

O poder da mente

O poder da mente
Nós os iluminados

Arquivo do blogue

A vitória do Ponto e Vírgula

Ressuscitemos a célebre exclamação - "Isso agora, ponto e vírgula".
Esta frase de cariz popular, representava uma forma simbólica de dizer que levantava muitas objecções e exigia explicações a algo que lhe merecia desconfiança.
Regresse o "ponto e vírgula" como forma de dizer BASTA!

Apareçam sempre por aqui!

Na dita Madeira profunda

Na dita Madeira profunda
Bela homenagem (Março 2004)