28/02/12

Resposta ao neocolonialismo europeu


BEM GELADINHA, POR FAVOR

HOJE SOMOS TOD@S EMPREGADOS DE MESA





18/02/12

Tudo baralhado

Cavaco Silva cria na sociedade portuguesa a figura de intocável, ao mesmo tempo que apela ao aumento da fecundidade dos portugueses.
Mas qual o ser vivo que quer pôr os pés nesta terra quando à sua espera tem um 1º Ministro que o assusta e um Presidente que se esconde?

Miguel Relvas o ministro que resolve o problema dos jovens através da emigração, vai coordenar a Comissão interministerial para criar emprego dos mesmos jovens.
Talvez ocupando o seu tempo no Sudoku fosse um passatempo mais interessante

Cardoso Jardim acusou os dirigentes desportivos de cuspirem no prato onde comeram.
Habitue-se porque vai ser um desporto muito popular na Madeira!








16/02/12

Fenómenos estranhos

O pai de Bruno Alves considera que o seu filho não teve qualquer intenção de lesionar Rodrigo na partida entre Zenit e Benfica. Washington lembra que a lesão do avançado é na anca, enquanto a disputa de bola ocorreu junto à relva. Passos Coelho também acertou na cabeça de muitos eleitores e agora queixam-se da bolsa.

Técnicas de chacal

João Almeida, o promissor deputado do CDS que "sem falsas modéstias adora ser Presidente", descobriu, ao fim de poucos meses, que não tinha tempo para ser Presidente do Belenenses. Depois desta fase de gloria, apontou as suas armas para os funcinarios públicos. Descobriu como correr com estes trabalhadores: - Deslocaliza-los e para quanto mais longe das suas casas, melhor. E quem não quiser sobreviver assim, mude de vida. Como ele fez no Belenenses. Só que brincar aos presidentes não e o mesmo que sobrevivência e dignidade familiar.

Bancos - controlados ou ... sem ajudas

Acossados por especuladores e exploradores mais poderosos os bancos portugueses encontram soluções para não irem ao fundo. Aumentam as comissões por serviços básicos como a manutenção de contas a ordem. Contudo CONTUDO Fazem-no para clientes de rendimentos mais baixos!!! A coerência capitalista patrocinada por um governo de medidas selvagens.

11/02/12

Prato do dia para 300 mil no Terreiro do Povo

COELHO DESFIADO EM MOLHO VILÃO 

10/02/12

Tão rica, tão rica


... que tem 2 empregados só para lhe assinalar os degraus e outro só para casar com ela!

Acredito! Acredito!

Chamar por ela, numa emergência, também não será fácil: 
- Oh Maria del Rosario Cayetana Alfonsa Victoria Eugenia Francisca Fitz-James Stuart y Silva, cuidado que vem lá um carro !!!

09/02/12

Qualquer dia ... não saem do buraco em que se meteram

Finalmente temos um Ministro da Defesa ... à altura do 1º Ministro.

Embora tenha tido o bom senso de não chamar piegas aos militares, considerou, entre várias citações épicas, que o representante da Associações de Oficiais tinha extravasado as suas opiniões, entrando no campo político, pelo que sugeriu que mudasse de vida.
Para o Ministro, as associações sócio-profissionais deviam limitar-se a discutir o calibre das peças de artilharia ou o modelo da bota dos militares. Do mesmo modo, era como se tivéssemos no elenco governamental um Ministro do Tiroteio em vez de um Ministro da Defesa.

Como diz D. Januário Torgal, bispo das Forças Armadas, «os militares têm tido paciência demais».
Também ele se recusa a falar apenas de crucifixos nas casernas dos soldados e entra "escandalosamente" no campo político ao falar como a solidariedade tem andado a ser tratada por este governo:
-  É vista como uma malga de sopa, uma solidariedade ultrajante.

Andam perigosamente nos mesmos trilhos de Salazar:
- OS ESTUDANTES ESTUDAM, OS TRABALHADORES TRABALHAM E OS GOVERNANTES GOVERNAM!







os estudantes estudam, os trabalhadores trabalham e os governantes governam

O TERREIRO DO PAÇO NÃO SERÁ DO PASSOS

07/02/12

Estado Social na clandestinidade

O binário Merkosy largou os cães e oferece-nos um novo alvor do capitalismo, qualquer coisa como o PITBULLISMO.
A consagração legal do défice de 0,5% constitui uma desgraça social e o fim do sonho de qualquer desenvolvimento económico.
Mas não só!
É uma verdadeira contra-revolução que levará o Estado Social a passar à clandestinidade!
De mansinho ou à bruta, conforme a vítima, vão banalizando este estado de excepção, "custe o que custar" como diz o vice-rei Passos Coelho deste protectorado, rectangular para uns e obtuso para outros.
Para além de tudo o mais, há uma grosseira estupidez nas actuais opções. É impensável que o afunilamento do desenvolvimento económico, à custa da negociação de exércitos de desempregados (15 mil funcionários públicos na Grécia) não traga a revolta social. É preciso dizer às pessoas que o caminho é ESTÚPIDO!

Mas o binário Merkosy não vagueia sozinho.
- A resignação passeia de autocarro às 6 da manhã, com as novas proletárias a assimilarem a intoxicação televisiva que lhes vende o sentimento de culpa colectiva
- Temos pobres contra pobres, disputando o quinhão de dignidade que lhes é atirado precariamente
- O desespero encontrado na satisfação de um trabalho que lhe paga a renda da casa e o direito a respirar gratuitamente. "Pouco é melhor do que nada" rematam de olhar no chão.
- O populismo à solta neste país, antecipando a cerimónia fúnebre da Democracia
- O PS que não está no governo (enquanto não entrar em novo bloco central) mas que não pode estar na oposição, agrilhoado ao acordo com a Troika
- A Nova Ordem Europeia que celebra 2 governos nacionais sem qualquer escrutínio
- A mesma Ordem que dança ao som da música da ditadura dos usurários

E agora, quem enfrenta este pitbullismo?
- Tal como farão outros partidos de esquerda na Europa, é necessário aprovar no Parlamento um projecto de resolução para que o tratado europeu orçamental seja rejeitado. O mecanismo é discriminador dentro dos países da UE, não resolve os problemas da economia nem do crescimento e assegura as desigualdades entre os Estados mais poderosos e mais fracos. Tão só!
- É precisa uma maior articulação entre os partidos de esquerda, com risco de serem acusados de só olharem para o seu próprio umbigo.
- A Democracia não se esgota nos partidos. É preciso acreditar nos sectores menos frequentadores da disputa política, como os indignados e outros movimentos de revolta
- Os partidos, grupos organizados com maior imagem mediática, têm de reinventar-se. A população já não escuta ladainhas. Têm de dizer que "a austeridade cheira mal da boca". Têm de dar palco a jovens protagonistas e a novos protagonistas. É preciso dizer às pessoas algo que elas ouçam.

Ou então, regressemos à clandestinidade e masturbemo-nos com o regresso dos bons velhos tempos!









Contador

A revolta da chibata (ver primeiro post sobre o tema)

Loading...

O poder da mente

O poder da mente
Nós os iluminados

Arquivo do blogue

A vitória do Ponto e Vírgula

Ressuscitemos a célebre exclamação - "Isso agora, ponto e vírgula".
Esta frase de cariz popular, representava uma forma simbólica de dizer que levantava muitas objecções e exigia explicações a algo que lhe merecia desconfiança.
Regresse o "ponto e vírgula" como forma de dizer BASTA!

Apareçam sempre por aqui!

Na dita Madeira profunda

Na dita Madeira profunda
Bela homenagem (Março 2004)