31/01/13

Dedicado aos que acham que andaram a viver acima das suas possibilidades

O banqueiro Ulrich teve 249 milhões de lucro do seu BPI em 2012.
Desde 2007 que não tinha este lucro.
No final de 2012 teve a lapidar afirmação "Ai aguenta, aguenta!" relativamente aos seus conterrâneos portugueses (bastante afastados por sinal)

Aproveitando-se da lamuria da crise correu em 4 anos com 1367 trabalhadores.
Apesar dos elevados lucros reduziu a concessão de crédito.
Realmente, não precisava de correr riscos com os portugueses, pois eles encarregaram-se de lhe pôr nas mãos 160 milhões através da dívida pública.


O banqueiro não está satisfeito e queixou-se de ter pago 13.9 milhões de contribuição extraordinária da banca.
Aguenta ainda mais lucros no futuro?
Ai aguenta, aguenta!

25/01/13

Os espanhóis vêem-se gregos

Espanha: desemprego recorde superando recorde de 26%

Os novos Caminhos de Santiago.
Espanha, 6 milhões à procura de emprego.
FMI prevê mais recessão em 2013.

Na Grécia o governo conservador dialoga com grevistas do metro através de "especialistas"


24/01/13

Governo hiena


                                                

Euforia no regresso aos mercados.
Governantes e banqueiros lançam foguetório.

Portugal provou que está no caminho correcto - governante na Alemanha.
E riem, riem muito!



Idosos deixam lares para ajudar filhos desempregados - Riem de quê?
Impostos são pornográficos e receita fiscal diminui - Riem de quê?
Mais de 10 mil crianças com fome - Riem de quê?


22/01/13

O verdadeiro bom senso



É legítima esta forma de luta na casa da Democracia madeirense?

Nada de conclusões apressadas.
Não foi esta a casa considerada indigna por Cardoso Jardim impedindo um Presidente da AR de falar aos deputados?
Não foi nesta casa que numa sessão solene o mesmo Cardoso Jardim chamou vaca não sei quantos e boi qualquer coisa a 2 deputados?
Não é nesta casa que todos os dias a democracia é escrita com letras muito muito pequenas?
Não é esta a única forma de abanar consciências e da comunicação social falar do tiranete da Madeira sem ser pela voz do próprio?
Não foi aqui que retiraram a imunidade a Coelho e mantiveram a dos intocáveis?

Haja bom senso!!!!!!!!

21/01/13

A serpente ataca no elo mais frágil

O economista Eugénio Rosa desmonta a grande mentira desta serpente de 3 cabeças e 1 cauda.
A troika ainda não está saciada. A cauda vem atrás.
As pensões em Portugal são muito baixas.
Mesmo assim, o FMI defende uma redução brutal através de vários cortes gerais em todas as pensões.
Reparem neste cenário

DESPESA MÉDIA POR HABITANTE COM A PROTECÇÃO NOS PAÍSES DA UE27 - em euros


Efectivamente os pensionistas portugueses não são as sanguessugas em que os pintam.
A serpente sabe-o bem, mas sabe-lhe bem!

Clarinho como a Branca de Neve

Os portugueses adoram o mar.
Adoram também vogar ao sabor das ondas.
Infelizmente não é apenas nas férias de Verão na Costa da Caparica, último refúgio dos que teimam ir a banhos.

Trocam-se milhares de emails referindo as fugas ao fisco do Salgado, a reforma milionária do Jardim Gonçalves e as férias excêntricas do .Dias Loureiro.
Vendem-se florestas de jornais com as falcatruas académicas de J. Sócrates e do Relvas.
Angustiamos os nossos amigos com os iscos tributários de Passos Coelho com o beneplácito do FMI & Cia.

E fazemos muito bem
Porque em Portugal ainda há vítimas que se autoflagelam em sentimentos de culpa.
Porque ainda acreditam que o grau académico de Dr. o põe acima de qualquer suspeita.
Porque acreditam que o capitalismo veste o manto de Nª Sª para nos salvar do comunismo.
Porque tantos e tantas repetem superiormente "que são todos iguais".

Mas este vogar ao sabor da onda da mera denúncia social tem graves inconvenientes.
Apanhamos a petinga e deixamos escapar o cherne.

Está na altura de ir ao ninho da serpente.

Os portugueses (alguns) escolheram Sócrates e depois P. Coelho para os representarem junto da famosa troika. A serpente pôs os ovos que quis e assinaram o Memorando de Entendimento.
Agora a serpente quer mais ovos com o mesmo acordo.
Qual a legitimidade do FMI em fazer novas exigências, todas numa perspectiva de chacina do nosso (nosso!) Estado Social? Onde já vai o texto do Memorando? Onde paramos? Onde está a legitimidade política para a grande cavalgada sobre os portugueses com mais relatórios, opiniões e orientações "inevitáveis"?

Mais ainda
A Iniciativa para uma Auditoria Cidadã à Dívida apresentou o seu relatório preliminar.
O título é bem significativo - Conhecer a dívida para sair da armadilha
Para já, apresenta conclusões interessantes:
1ª - A dívida pública é uma avalanche que alastra alimentada pela recessão e a socialização das perdas privadas do sector financeiro.

2ª - A tentativa de tudo sacrificar para pagar a dívida levará o país ao declínio e ao empobrecimento, ao aprofundamento da sua dependência e à bancarrota
3ª - A dívida não deve ser paga a todo o custo. A dívida está inquinada por despesa pública ilegítima, isto é
benefícios obtidos de decisões públicas coniventes com interesses privados e perdas privadas tornadas públicas. A dívida está inquinada pelas condições impostas pela troika
4ª - A dívida pública é um garrote que está a servir para impor a Portugal um programa político não sufragado de destruição do estado social e do próprio estado de direito democrático.

Leiam e divulguem o relatório preliminar de Auditoria e a clareza do que nos é apresentado.







Tão só!!!!


19/01/13

Ai aguenta, aguenta!

Não é altura para complacências - FMI sobre a situação portuguesa


Chicoteiem a borboleta!

18/01/13

Para mais tarde recordar ...

Só com maioria absoluta é que consigo aplicar o meu programa e do PS para Portugal entrar no novo rumo - Tozé Seguro

Se a lógica política não for uma bola de râguebi, acontecerá o seguinte:

  • O PR demitirá este governo para não ter necessidade de ir a inaugurações numa "Chaimite"
  • O inseguro Seguro ou o comentador Costa terão maioria relativa nas urnas
  • Para governar, o que nada terá a ver com o programa apresentado aos eleitores, procurará uma prostituta política para satisfazer os seus desejos
  • O CDS apresentar-se-á disponível e descomprometido da anterior desgovernação. Na primeira esquina das negociações acertam o preço que os portugueses pagarão. Afinal de contas já conhecem os cantos à casa e estão habituados a receber bem os amigos do FMI. Lavam os vidros, limpam a imagem e arranjam outro Mota Soares e outra Cristas. As culpas do PSD passarão a ser evidentes e justificarão qualquer futura receita culinária. 
  • O PSD insurge-se contra as medidas que prejudicam os portugueses e blá blá blá
Se a bola de râguebi for parar às mãos calosas do povo, 
Se o mesmo jogo for jogado por outros povos europeus,
Então ... tudo pode acontecer

17/01/13

Guerras pestilentas

Fúria do Cajado apresenta sinceras condolências aos galardoados com a Medalha da Cruz de São Jorge, depois da jardinada de 7 de Janeiro de 2013.

O pobre do São Jorge, soldado romano imortalizado por ter morto um dragão que exalava um hálito pestilento, não imaginava que havia de cair às mãos de outros soldados ao serviço de outros dragões pestilentos. 


OK rapaziada, podem regressar! Houve um mal entendido

«Ninguém aconselhou os portugueses a emigrar» - Passos Coelho


16/01/13

Governo Lucky Luke

Governo publicou na 2ª feira no Diário da República as novas tabelas de retenção do IRS, que vigoram a partir de ontem.
No dia em que entram em vigor, mais rápido que a própria sombra, chega à conclusão que apresentam uma "inexatidão" e apresenta uma declaração de retificação!!!!

15/01/13

Os americas são nossos amigos

Numa visita relâmpago (tipo visita ao Afeganistão) às Lajes o Secretário de Defesa dos USA descansou os indígenas declarando que  por cada americano contratado seriam contratados três portugueses.
Lindo! Foguetório e Paulo Portas de fraque (e ao lado)
Mas ... a questão não é a redução da presença militar americana nas Lajes?
Melhor dito, por cada america que vai embora serão despedidos três portugueses!!!
Digo eu ...

Mas esta tive a oportunidade de constatar.
O Chefe do Estado Maior do Comando da Zona Marítima dos Açores (S. Miguel) deslocou-se em serviço à Base das Lajes.
Os americas, num gesto de grande magnanimidade, informaram formalmente que o autorizavam a visitar o apetitoso BX (lojas francas), que disponibilizavam para as suas tropas, mas ... sem direito a compras.
Estava apenas autorizado a ... babar-se de inveja!

Imagens engraçadas - Embarque da tropa americana para Afeganistão











2013 - Odisseia na Saúde

Medidas políticas decretadas por governos desta Nação sempre foram susceptíveis de provocar graves danos no quotidiano das pessoas. 
Contudo, este inovador governo de PC foi mais longe, ou seja tomou medidas de assumido empobrecimento e mais grave ainda, tomou decisões que conduziram à morte de pessoas.
A Presidente da associação de doentes SOS Hepatites, denuncia o racionamento de determinados fármacos, o qual já levou à morte de uma pessoa que entrou em descompensação cirrótica por esperou em vão a entrega de determinado medicamento. Segundo a mesma Presidente mais 200 ou 300 doentes estão na mesma situação.
É obra que estes factos e muitos outros denunciados pelo Bastonário da Ordem dos Médicos, não tirem o sono ao Ministro da Saúde, das Finanças e ao 1º Ministro.
Os socialmente insensíveis não podem governar um país em crise.

Contudo, se ao factor insensibilidade acrescentarmos incompetência, então é o descalabro!
Um relatório da Comissão Europeia conclui que aquilo que está a ser feito em termos de desinvestimento em prevenção, no corte de custos nos cuidados de saúde primários e no racionamento de meios de diagnóstico e terapêutica podem poupar dinheiro a curto prazo mas a despesa vai aumentar no médio e longo prazo porque os doentes acabam por regressar aos hospitais, com a doença em estados mais avançados e onde podem acabar por contrair outras patologias.

A Comissão Europeia, cautelosa, irresponsável e comprometida na mesma área política, ignora no seu relatório as consequências mortais e a degradação da qualidade de vida dos doentes destas medidas da governação nacional.

Mesmo assim, atolando-se apenas no debate circunscrito à economia, deixa PC com orelhas de burro!



11/01/13

Conhecer a verdade para atacar a mentira


1.º Encontro Nacional da Iniciativa por Uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública

|| CRISES NÃO PAGAM DÍVIDAS ||

No dia 19 de Janeiro de 2013, das 10 às 18 horas, no Instituto Franco Português em Lisboa (Rua Luís Bívar nº 91) os apoiantes desta iniciativa prestarão contas do trabalho realizado durante um ano de trabalho e submeterão à discussão do movimento as orientações e projetos para o trabalho futuro

Para já um artigo esclarecedor:

A dívida pública portuguesa em 10 pontos

No dia 19 de Janeiro terá lugar em Lisboa o primeiro encontro nacional 'Crises não Pagam Dívidas', convocado pela Iniciativa para uma Auditoria Cidadãos à Dívida Pública (IAC).
Saber quanto devemos, a quem devemos, porque devemos e se é sustentável o seu pagamento são questões fundamentais que devem ser respondidas.
A cada dia que passa, a escolha entre pagar uma dívida praticamente desconhecida a todo o custo, como defende o Governo, ou entre efectuar uma auditoria à dívida pública e proceder à sua reestruturação é cada vez mais urgente.
Aqui ficam alguns dados sobre a dívida pública portuguesa, para ajudar a efectuar essa escolha.
1- Desde que assumiu funções, o Governo acrescentou 24,8 mil milhões de euros à dívida pública. Em apenas ano e meio, a dívida disparou de 172,4 mil milhões de euros, em Junho de 2011, para 197,2 mil milhões de euros no final de Novembro de 2012, de acordo com os dados do Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP).
2- Apenas 5,6% do total da dívida pública é detida por particulares através dos certificados de aforro ou de certificados do tesouro. Isto significa que uma reestruturação da dívida pública poderia proteger, sem grande dificuldade, os pequenos aforradores.
3-  Já 93,6 mil milhões de euros correspondem a obrigações do tesouro e bilhetes do tesouro comprados no mercado primário através de emissões efectuadas pelo IGCP. A sua reestruturação é a mais fácil de efectuar.
4- O resto é dívida cedida no âmbito do acordo com a troika. É a chamada dívida oficial, sendo os credores outros países e a sua reestruturação bem mais complicada. O peso desta dívida é quase metade do total (47,4%) e o seu peso tem vindo a aumentar cada vez mais (dobrou no espaço de um ano). Um dos principais objectivos do memorando da troika é substituir os credores privados (instituições financeiras, etc.), por dívida oficial, colocando assim mais entraves a possíveis reestruturações.
5- A dívida portuguesa atingirá os 124,7% em 2013, sete pontos percentuais acima do previsto inicialmente no acordo assinado com o FMI. No final de 2012 ficou nos 120%. Os 120% são o limiar da sustentabilidade indicado pelo FMI e em 2013 vamos quebrar esse limiar. Devemos esperar que a previsão de 124,7% deverá ser ultrapassada, tal como foram as previsões da troika até ao dia de hoje.
6- Na Grécia, foi reconhecida a insustentabilidade da dívida pública uma outra vez: os juros dos empréstimos foram reduzidos em 1% e os prazos das maturidades alargados em 15 anos; o Banco Central Europeu abdicou dos lucros que iria ter com a compra de dívida grega no mercado secundário; foi concedido um período de carência do pagamento de juros por 10 anos e redução das taxas de comissões em 0,1%. A dívida irá cair, devido a estas medidas, de 175% do PIB em 2016 para 124% em 2020, diz o FMI. Mas estas medidas ficam, mesmo assim, aquém do necessário. O Governo português recusou exigir essas mesmas medidas para Portugal.
7- Soubemos agora que existem 500 clientes com dívidas superiores a meio milhão que estão em incumprimento total. No total, os contribuintes podem ter de pagar mais 3 mil milhões por causa disto. Entre os principais credores estão Fernando Fantasia e Emídio Cartum, os ‘empresários’ responsáveis pela compra dos terrenos em Rio Frio duas semanas antes do anúncio da construção do novo aeroporto de Alcochete e ligados à casa que Cavaco Silva tem na Aldeia da Coelha. Também temos de pagar esta dívida? - ler este artigo de José Castro Caldas sobre o assunto.
8- Na dívida pública estão incluídos gastos dos submarinos e das luvas pagas pelo meio, que já estiveram na base da condenação, pela justiça alemã, de dois envolvidos na operação, cerca de 50 mil milhões em encargos com parcerias público-privadas e pagamento de juros sobre juros.
9- Segundo os dados do Orçamento do Estado para 2013, este ano iremos pagar 8,8 mil milhões de euros apenas em juros da dívida pública, mais do que em Educação ou Saúde, 3,5 vezes o orçamentado para subsídios de desemprego, 13 vezes os abonos de família, 25 vezes o Rendimento Social de Inserção e 5 vezes o montante para acção social.
10- As medidas de austeridade impostas aos portugueses visam satisfazer apenas o pagamento de juros da dívida pública aos grandes capitalistas que especulam contra o país, pois o saldo primário de Portugal -diferença entre receitas e despesas – é equilibrado? Garantir a rentabilidade às instituições financeiras que possuem os títulos de dívida pública portuguesa ou resgatar o país do descalabro económico e social provocado pelas medidas de austeridade? Dia 19 de Janeiro estaremos na Conferência da IAC para decidir.

09/01/13

Querem-nos atolar em merda!

MEDIDAS "PROPOSTAS" PELO FMI:



  • Funcionários públicos com corte de salários e horário alargado
  • Redução até 20% no número de funcionários públicos
  • Pensões com cortes de 10% a 15% e aumento da idade da reforma para 66 anos
  • Limitar a atribuição de benefícios sociais
  • Diminuir subsídios de desemprego
  • Aumento das taxas moderadoras
  • Dispensa de pessoal docente e não docente (entre 30 a 50 mil)
  • Aumento de propinas

COMENTÁRIOS APROPRIADOS:

António Costa - 
«Com propostas dessa natureza, vejam mesmo se é do FMI, se é de um técnico falso»

Matos Gomes, militar de Abril - 

«o Governo de Portugal, em vez de pedir estudos para negociar com o FMI, pede ao FMI estudos para negociar com os portugueses.»








02/01/13

A pontaria do "Coronel" Miguel Relvas

O nosso Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares antecipou-se à declaração de Cavaco Silva sobre "dúvidas na justiça na repartição de sacrifícios" e como exemplo de governante para os seus súbditos foi passar o réveillon para o sumptuoso Copacabana Palace.
Escolheu bem!
Este hotel tinha sido recentemente eleito por um movimento de contestação à prostituição de luxo.


No arquivo do hotel podia ter recolhido fotos da repressão para mostrar ao seu colega da Segurança Interna.


O nosso "Coronel" continua imparável.


Contador

A revolta da chibata (ver primeiro post sobre o tema)

Loading...

O poder da mente

O poder da mente
Nós os iluminados

Arquivo do blogue

A vitória do Ponto e Vírgula

Ressuscitemos a célebre exclamação - "Isso agora, ponto e vírgula".
Esta frase de cariz popular, representava uma forma simbólica de dizer que levantava muitas objecções e exigia explicações a algo que lhe merecia desconfiança.
Regresse o "ponto e vírgula" como forma de dizer BASTA!

Apareçam sempre por aqui!

Na dita Madeira profunda

Na dita Madeira profunda
Bela homenagem (Março 2004)